A memória de Alphonsus de Guimaraens nas vozes dos poetas modernistas

João Eustáquio Evangelista de Paula

Resumo


A visita de Mário de Andrade a Alphonsus de Guimaraens, ocorrida no dia 10 de julho de 1919, foi o marco inicial para a difusão nacional da obra de Guimaraens, embora, naquela época, Mário tivesse apenas 25 anos e não fosse uma figura conhecida. Tal visita foi explorada no artigo “Alphonsus”, de autoria do próprio visitante na revista A Cigarra, de 18 de julho de 1919. Os ecos desse encontro figuram no poema “A visita”, de Carlos Drummond de Andrade. Manuel Bandeira também contribuiu consideravelmente, por juntamente com João Alphonsus organizar a edição das poesias completas do poeta mineiro, a partir de 1935. Doravante é que o seu prestígio de grande poeta começa realmente a consolidar-se. Neste artigo proponho analisar como se deu o processo de reverberação da obra de Alphonsus de Guimaraens por meio dos modernistas, sobretudo nas vozes de Mário de Andrade e Carlos Drummond de Andrade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Caletroscópio - Revista do Programa de Pós-graduação em Letras: Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Ouro Preto

ISSN (on-line): 2318-4574  - Qualis CAPES: B2


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional