Infância e ritos de passagem em "Campo geral", de Guimarães Rosa

Telly Will Fonseca Almeida, Telma Borges

Resumo


Este artigo propõe uma análise da representação da infância em Campo Geral, de Guimarães Rosa, levando em consideração a abordagem sócio-histórica explorada pelo narrador. Neste sentido, apresenta-se uma infância na qual se mesclam elementos antigo-medievais e modernos em constante ciclo de tensão, conforme Jaques Le Goff. Ao analisar o conceito de infância com essa perspectiva, sem refutar os elementos míticos e místicos, consideramos que os componentes contraditórios da narrativa não são solucionados, mas potencializados por meio de ritos de passagem experimentados pelo protagonista Miguilim: os medos, os conflitos, as perdas e as separações que fazem parte dessa concepção antropológica da infância na narrativa rosiana.


Palavras-chave


Guimarães Rosa; Campo Geral; Ritos de passagem; Infância; Corpo de Baile.

Texto completo:

PDF

Referências


ARIÉS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Trad. Dora Flaksman. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

BORGES, T. Os bastardos do sertão rosiano. In: XI Encontro Regional da Abralic, 2007, São Paulo. Literatura e outros saberes, 2007. [Anais] Disponível em: . Acesso em 09/09/2009.

CASTRO, A. J. A. e. O alívio das manhãs: permanência e transgressão na obra Corpo de Baile de João Guimarães Rosa. 135 f. 2005. (Dissertação de Mestrado em Estudos Literários) – Faculdades de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

GENNEP, A. V. Ritos de passagem. Trad. Mariano Ferreira. Petrópolis; Vozes, 1978.

LE GOFF, J. História e Memória. Trad. Bernardo Leitão. 5. ed. São Paulo: UNICAMP, 2005.

LISBOA, H. O motivo infantil na obra de Guimarães Rosa. In: COUTINHO, E. F. (Org.). Guimarães Rosa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983. p. 170-178, 1983 (mês). (Coleção Fortuna Crítica).

NOGUEIRA, E. S. Percepção e experiência poética: estudo para uma análise de “Campo Geral”, de J. Guimarães Rosa, 2004. (Dissertação de Mestrado em Teoria e História Literária) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

PASSARELLI, P. As personagens e suas estórias: uma leitura de três narrativas de Corpo de Baile, de Guimarães Rosa. 2007. 133 f. (Dissertação de Mestrado em Teoria Literária e Estudos Comparados). São Paulo: Faculdades de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, Universidade de São Paulo.

PEIRANO, M. Rituais ontem e hoje. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

POSTMAN, N. O desaparecimento da infância. Trad. Suzana Menescal de Alencar Carvalho e José Laurenio de Melo. São Paulo: Graphia, 1999.

RESENDE, V. M. O menino na literatura brasileira. São Paulo: Perspectiva, 1988.

ROSA, G. Campo geral. In: Manuelzão e Miguilim: (Corpo de Baile). 11. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

SCARANO, J. Criança esquecida das Minas Gerais. In: DEL PRIORE, M. (Org.). História das Crianças no Brasil. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007.

SILVA, A. S. Guimarães Rosa e Mia Couto: Ecos do Imaginário infantil. 2006. 121 f. (Dissertação de Mestrado em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa) – Faculdades de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo. Disponível em: . Acesso em 03/082008.

SOUZA, S. J. Infância e linguagem: Bachtin, Vygotsky e Benjamin. 6. ed. São Paulo: Papirus, 1994.

STEARNS, P. N. A infância. Trad. Mirna Pinsky. São Paulo: Contexto, 2006.

TEODORO, M. A. de A.; DUARTE, M. C. T. Entre perdas e ganhos: uma leitura de Miguilim, de João Guimarães Rosa. In: COLE (Congresso de Leitura do Brasil), 16, 2007, Campinas: Unicamp. Disponível em: . Acesso em 05/012010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Caletroscópio - Revista do Programa de Pós-graduação em Letras: Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Ouro Preto

ISSN (on-line): 2318-4574  - Qualis CAPES: B2


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional