Olhar de um viajante do século XIX: as vilas de Nova Olivença e São Jorge dos Ilhéus nos relatos do Principe Maximiliano de Wied-neuwied

André Mariano Neri

Resumo


Este trabalho busca perceber no discurso de um viajante do século XIX, o botânico e naturalista Maximiliano Príncipe de Wied-Neuwied (1782-1867), o cotidiano da Vila Nova de Olivença e da Vila de São Jorge dos Ilhéus situadas no litoral sul da Bahia no ano de 1815, período em que visitou as tidas terras. O estudo se aprofunda, principalmente na maneira como os povos indígenas são retratados no seu diário de viagem, que posteriormente resultou no livro Viagem ao Brasil. É interessante salientar que desde a década de 1960, os relatos de viagem vêm sendo analisados por historiadores, antropólogos e outras áreas das ciências humanas. Todavia, percebe-se que a visita a Olivença e Ilhéus quando ainda Vilas, pelo conspícuo príncipe de Wied-Neuwied, como por tantos outros estrangeiros têm sido pouco estudadas.


Texto completo: 234-255

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista Eletrônica Cadernos de História oferece acesso gratuito e integral a todo conteúdo deste site. Esta revista possui Qualis B4.
Realização: indexação: Redes Sociais:

 

Sumários.org

 

Latindex


SEER

 

e-revist@s